domingo, novembro 30, 2014

Separadores no caminho do aterro

Esta noite, ao regressar a casa, o d Óis Por Três optou por passar de novo no caminho que faz as vezes de estrada e do antigo aterro. Notou-se que andou por ali qualquer arranjo, não tanto porque o piso esteja muito melhor, nem é o caso, mas pelos separadores que lá foram postos,
Estes mesmos que se vêem na imagem.
O d´Óis Por Três não faz ideia para o que serão?
Para o que será?

sábado, novembro 29, 2014

Tuna de Óis numa imagem de há 104 anos

A imprensa de Águeda publicou um imagem da Tuna de há 108 anos (e não 104, como se lê na notícia; ou será a imagem de 1910?). Seja como for, o d´Óis Por Três destaca o pormenor de a Tuna, a esse tempo, já ser notícia dos jornais de Lisboa. na verdade, pelo que se lê, foi publicada a 30 de Dezembro de 1906 (ou 10?).
Ai estes jornalistas, que não percebem nada de algarismos e de contas.

sexta-feira, novembro 28, 2014

Combater, o quê?


- «Gosto de literatura de combate...», disse o Três.
- «Mas literatura dessa, para combater o quê?...», perguntou o d´Ois.
- «A sociedade de consumo, os oportunistas da política, os militantes do desemprego, os dirigentes incompetentes...», respondeu o Três.
- «E isso é mau?...», questionou o d´Ois.
- «É!!!... É muito mau! E os que vivem à custa de favores e da chulice», disse o Três. «É tal e qual como a Coca-Cola...».
- «Mas tu não gostas de Coca-Cola?...», interrogou o d´Ois.
- «Claro que não. Nem de sumo nem de cola: não há nada que chegue a umas boas imperiais, bem tiradas e geladinhas...», disse o Três.
- «E com isso combates o quê?...», perguntou o d´Ois.
- «A sede!!!...», respondeu o Três.

quinta-feira, novembro 27, 2014

Mérito desportivo par canoístas da Arcor

A Arcor teve seis atletas distinguidos com Mérito Desportivo pelo Jornal da Bairrada, de Oliveira do Bairro. São eles, Tiago Tavares, Arménio José, Fábio Lopes e Renato Pires (campeões nacionais em 2014) e os irmãos João Paulo Brinco e António Brinco (Taça de Portugal).  A 4ª. Gala Desportiva foi  promovida pelo Jornal da Bairrada e pela Câmara Municipal de Vagos, realizou-se a 15 de Novembro, nesta vila.

quarta-feira, novembro 26, 2014

Os políticos da terra de Óis...

O comerciante Aníbal Saraiva foi o candidato do Bloco de Esquerda (BE) à presidência da Junta de Freguesia de Óis da Ribeira, nas eleições autárquicas de 2005, já lá vão 9 anos. Mas não foi eleito, perdendo para o então presidente, Fernando Pires (PSD).
Aníbal Saraiva fica na história política de Óis como o primeiro candidato do Bloco de Esquerda na freguesia. No mesmo ano de 2005, foi o segundo da lista "bloquista" para a Assembleia Municipal de Águeda, mas também não foi eleito.
Mais fortuna votante teve 4 anos antes, quando foi candidato do PS nas autárquicas ribeirenses nas autárquicas de 2001, também a presidente da Junta de Freguesia,  e foi eleito para a Assembleia de Freguesia - cargo que viria a exercer entre 2002 e 2005.
Publicada por d´OIS POR 
TRÊS, a 25.Nov.2005

terça-feira, novembro 25, 2014

Tuna de Óis no Concerto de Recardães


A Tuna actuou no concerto dos 28 anos da Associação Cultural de Recardães e foi notícia na imprensa de Águeda. O site da Tuna transcreve a notícia: 
[…]”A noite longa pareceu-o menos com a chegada da Tuna de Óis da Ribeira. Caprichosa, serena, segura, de ar entusiasmado e disciplinado, o seu repertório e a execução foram (sur)pre(e)ndendo e animando até ao rendido aplauso mais vigoroso. Ninguém arredou pé, até ao inequívoco sinal de encerramento do maestro António Bastos.”[…]
Eleutério Costa, jornal “Região de Águeda”, 19-11-2014

Ver AQUI

segunda-feira, novembro 24, 2014

Bocas que levam Óis à Roma dos seus direitos


Boca ribeirinha fechada..., fala e não deixa entrar mosca!
Boca ribeirinha, quando fala, fala grosso e exige respeito.
Como foi no caso do Caminho da Calçada!
Como foi para construir o centro social!!
Como foi para construir o paredão que, ainda hoje, é o único em toda a margem do rio Águeda!!!
Como foi para construir a ponte!!!!
Como deveria ter sido, para evitar que desaparecesse o aterro, para a tal ponte nova!!!!!
Como deve ser para reclamar a pouca vergonha que é a lama que temos que passar, no caminho alternativo, para entrar e sair de Óis!!!!!!  
Haje fé, para Óis levar a sua voz e chegar á Roma dos seus direitos

domingo, novembro 23, 2014

Ora lamas eu, ora lamas tu...

Nunca é excessivo falar do enlameado que serve de estrada ás gentes de Óis da Ribeira, na ligação com Cabanões. Nunca ´«e de mais dizer que o que não temos é homens políticos com os ditos cujos no devido sítio, pois, se assim fosse, não brincavam, assim tão facilmente com a dignidade das gentes de Óis e daquela que por ali tem de passar.
Como hoje dizia uma ribeirense, os srs. políticos deviam ter uma estrada assim á porta deles. Mas esses andam com jeeps e carros públicos, não estragam o que é deles,

sexta-feira, novembro 21, 2014

Os filhos da lama do desvio do aterro


- «E não é que já estamos já a meio do
Inverno?!...», disse o Três.
- «Claro! Já dá bem para notar a diferença, pois até temos menos uma hora de sol...», comentou o d´Ois.
- «Exacto! E o próximo mês já será um mês de transição em que os dias simpáticos já serão muitos e em que também muda a hora!...», exclamou o Três.
- «É! O tempo continua a rolar... só não rolam algumas cabeças!...», respondeu o d´Ois.
«Como assim?!», perguntou o Três.
-«Eu sei lá!!! Bem podiam rolar as que mandaram acabar com o aterro e nos enfiaram aquele campo lavrado para passarmos de automóvel, ou de motorizada, ou de bicicleta, ou a pé, pelo desvio para Cabanões», disse o d´Óis.
«Pois, mas esses andam de bons carros e em boas estradas, estão-se a marimbar para a malta d´Óis, não têm de passar no lamaçal», disse o Três.
«São uns filhos da lama», concluiu o d´Óis.
«Filhos de quem?», perguntou o Três. 

quinta-feira, novembro 20, 2014

Os regos e buracos da picada de Óis



A fotografia ainda está quentinha, de ser tirada ao princípio da noite de hoje e é da estrada que há quase meio ano serve a população de Óis, todos os dias, a ir para cá e a vir para lá.
Nao sei se é equivalente às célebres picadas que ouvimos falar que havia o tempo da tropa em África, mas que não é um piso digno para um bom filho de Deus, lá isso não é. O que mais parece é que é uma terra lavrada.
Se repararem no pormenor da foto aqui ao lado (tirada da maior), aquilo são buracões atrás de buracões, regos fundos ao lado de regos fundos, feitos na lama pelas rodas das viaturas que tem a infelicidade de lá passar e é muita gente.
O estranho, para além da enorme falta de respeito que as autoridades tem pelo povo de Óis, é que os jornais de Águeda não falem do assunto. Onde é que andam os srs. jornalistas da terra? É tudo moita carrasco, são da cor, não vão criticar os amigos do partido.

quarta-feira, novembro 19, 2014

Os rosas, senhores! Os rosas!!!

«Uma rosa é sempre uma rosa!!! Dê lá por onde der!!!...», filosofou o d´Óis.
«Mesmo que seja a rosa socialista que agora lidera a política de TravassÓis», perguntou o Três.
«Nem quero ouvir falar nisso, pá. Mais queria o Pires e os seus ajudantes, que ao menos conheciam os cantos à casa», retorquiu o d´Óis.

terça-feira, novembro 18, 2014

A «auto-estrada» que faz de desvio do antigo aterro

A foto não é nossa, foi raptada do facebook do engº. Luís Neves e barbeada aqui em casa. Mostra o piso com que a Câmara Municipal de Águeda diariamente brinda o povo de Óis da Ribeira e todas as pessoas que ali tem de passar. Só porque não quiseram por ali uns quilos de piche a tapar o pó ou  lama. Falei há momentos com um familiar que lá passou já de noite e o comentário foi este: «A foto não é de hoje de certeza, quando passei lá há bocado tinha regos da altura de palmo e meio e os carros até mudavam de direcção, a patinar na lama». 
Dando de barato os dias, que há dias não se pôde la passar, por causa da cheia, o que apetece dizer é que a gente sabe bem quem e que deveria ter de lá passar todos os dias e por mais de uma vez.

segunda-feira, novembro 17, 2014

Tuna no Concerto de Outono de Recardães

A Tuna de Óis da Ribeira foi actuar no Concerto de Outono, organizado pela Associação Cultural de Recardães, que comemorou seu 28º. aniversário. Tal aconteceu a 15 de Novembro de 2014, no último sábado e rezam as crónicas que foi um êxito.
 É destas notícias que gostamos de publicar. Parabéns, Tunos!

domingo, novembro 16, 2014

Calçada sem paralelos, areia e obras

O engº. Luis Neves já tinha publicado uma imagem (que reproduzimos) mas, vendo e crendo, o d´Óis Por Três aproveitou a tarde deste domingo para testemunhar o que já sabíamos: os paralelos e a areia foram mesmo retirados do caminho da calçada e lá se foi a obra para o galheiro.
Quanto a culpas, parece que, como é hábito, vão morrer solteiras. 

sábado, novembro 15, 2014

Há 9 anos....

O d´Óis Por Três nasceu há 9 anos, numa noite de chuva como hoje, a três mãos e para falar das coisas e pessoas de Óis da Ribeira. E é o que tem feito, com maior ou menos entusiasmo, melhor ou menos boa oportunidade ou actualidade, mas sempre com a vontade de bem servir a nossa terra.
Razões de diversa ordem - familiar, pessoal e profissional -, por mais de uma vez alteraram as circunstâncias diárias de edição do blogue. E nem sempre se pode ser actual, nem sempre há matéria e facto para falar de Óis e das suas coisas. Esta semana, tivemos um flagrante exemplo: como saber da manifestação popular? Só à posteriori, como perceberão.
O d´Óis Por Três foi uma experiência iniciada por um tempo curto e já vai entrar no 10º. ano. Muitas coisas aconteceram na nossa terra e no mundo. Na equipa d´Óis Por Três houve mudanças profissionais, residenciais e até de núcleo familiar. Esta resistência cria-nos a responsabilidade de continuarmos por mais algum tempo. Eus sabe até quando. 
Bom futuro para Óis da Ribeira!

sexta-feira, novembro 14, 2014

A pateira vista do ar, para desanuviar...



Uma excelente foto aérea da pateira, com a nossa Óis da Ribeira sublinhada, na imagem (repetida, em baixo), para não estragar a beleza da vista. É de beleza que se fala e se vê, que é excelente.
Foi apanhada na net, não sabemos quem é o autor, mas é magnífica e a ele ficamos a dever este prazer.
Por outro lado, e depois da algaraviada que foi essa história do caminho da calçada -  ao que chegou a política local... -, sabe bem consolar a vista sobre a nossa beleza natural. 

Ainda sobre essa palhaçada da calçada, o que terá o eleito de Óis a dizer sobre isto? Nada, se calhar. Mas terá sido ouvido?, ou está do lado dos colonizadores? Ou só faz figura de corpo presente. Ele há gente assim.

quinta-feira, novembro 13, 2014

Pedras e areias foram retiradas do caminho da calçada



A Junta de Freguesia mandou retirar as pedras e areia do Caminho da Calçada, na tarde de segunda-feira. “Estavam a estorvar”, disse o presidente Mário Martins.

O autarca explicou a SP que “os que se intitularam porta-vozes do povo, falo de Germano Venade, exigiram a suspensão das obras e a retirada dos materiais e foi o que fizemos, até que o executivo tome decisões”. E voltou a lamentar que “ninguém tenha apresentado quaisquer sugestões, a não ser três pessoas,  que até sugeriram a subida da quota do caminho”.
“Não sou eu sozinho, quem decide”, disse Mário Martins, referindo que “não apareceu ninguém na reunião de segunda-feira à noite”, sabendo que “andou gente, no domingo, a mobilizar pessoas para impedirem os homens de trabalharem na obra”.
Jorge H. Almeida, vice-presidente da Câmara de Águeda, disse a SP “desconhecer se a obra está licenciada, ou não”. 

“A Câmara - explicou a SP - delegou competências na Junta de Freguesia e é esta a dona da obra. Quando estiver feita, será fiscalizada e paga. Se fizer, fez; se não fizer, não fez”. Em causa estão 20 000 euros, o valor do protocolo entre as duas autarquias. O prazo termina a 30 de Novembro.
Prazo que, provavelmente não será cumprido. “Se não for, a Junta não receberá nada”, disse Jorge Almeida, lamentando “o desentendimento entre as pessoas de Ois da Ribeira e a Junta de Freguesia”, desentendimento que, sublinhou, “não beneficia ninguém”.
E a obra está licenciada? O vice-presidente da Câmara disse a SP “não saber”, mas explicou que “a escolha pelo empedramento teve a ver com as características do solo”.
“É uma zona protegida, a opção mais barata e fácil era o alcatrão”, disse Jorge Almeida.

Notícia e imagens DAQUI

quarta-feira, novembro 12, 2014

Revolta por causa da calçada



A calçada, afinal, não existe mesmo e as pedras e areia foram mandadas retirar pela Junta. Segundo a imprensa de Águeda, «um grupo de populares impediu, na segunda-feira, a continuação das obras de empedramento do Caminho da Calçada. Querem que seja mais largo e mais baixo».
Os trabalhos começaram na semana passada, num troço de 4,10 metros de largura - o que, disseram, ”não dá para cruzarem dois carros e muito menos dois tractores”. Diamantino Correia, um dos manifestantes, considerou que “deve ser mais largo e mais baixo, ao nível das caixas” e Albertino Soares  também frisou que “deve ser rebaixado”, pois “como está, a água (das cheias) leva tudo”.
“Toleraria mais facilmente - disse este empresário agrícola - que fosse mais estreito, que mais alto”. Isto porque, sendo alto, vai criar empoçamento de águas. E prejuízos aos agricultores.
Alguns eleitos de Ois da Ribeira na União de Freguesias associaram-se ao momento de protesto: Diamantino Correia e Vital Santos (PS), Germano Venade e Manuel Duarte Almeida “Capitão” (PSD). Não esteve Horácio Tavares (PS), membro do executivo. Como, de resto, não esteve nenhum outro, apesar de Mário Martins ter, alegadamente, sido reclamado ao local.
A SP, a meio da manhã, o presidente disse “não entender o protesto”. Acrescentou que “a situação merece poucos comentários”, mas não deixou de referir que ”esta atitude  dificulta a vida a quem quer trabalhar“ - os calceteiros da Malheiros, firma de Arouca -  e que  “estive sempre disponível para ouvir sugestões, mas ninguém foi à Junta dizer o que quer que fosse”.

 VER EDIÇÃO SP IMPRESSA

RETIRADA DOS MATERIAIS
A fiscalização do Ministério do Ambiente esteve no local ao princípio da tarde de 3ª.-feira e exigiu a retirada de todo o material.
A brigada deu conta de paralelipípedos e montes de areia ainda no Caminho da Calçada e deu um prazo de 24 horas para o empreiteiro os retirar.
Os materiais estavam desde a véspera a ser levados, do Caminho da Calçada para o baldio da Junta de Freguesia, no Surpel, limite de Ois da Ribeira com Espinhel - no local onde se admitiu, em outros tempos, construir o Pólo Educativo. 

Notícia e foto DAQUI

terça-feira, novembro 11, 2014

A calçada já não tem pedra pedra para se calçar?

O engº. Luís Neves acaba de me deixar intrigado. Escreve ele (e publica esta foto), sobre o caminho da calçada, que «na semana passada disseram-me "a estrada está a ficar impecável... os gajos trabalham muito bem..." mas afinal parece que as pedras tb voam... vou aguardar pelas noticias da terra para tentar perceber o que se passou realmente...».
Então, o caminho da calçada já não tem pedra para se calçar? Mas que raio se passa? Será que foi roubada? Já não admira nada, no reino de TravassÓis. No domingo, juro pelo que estes olhos viram, estava lá pedra e a calçada começada, Agora, nem a que já estava aparelhada e instalada lá está. Que raio!

segunda-feira, novembro 10, 2014

Os refugiados de Óis da Ribeira


- «Todos nós, mais ou menos, falamos de liberdade... mas será que, por Óis, a entendemos todos da mesma maneira?...», perguntou o Três.
- «Olha, não sei... Se me puser a pensar como um refugiado do africano, em comparação com o de um cidadão médio ocidental.... Não sei, não!!!...», comentou o d´Ois.
- «Mas achas que Óis é comparável a África?», estranhou o Três.
- «Pois não sei... Os conceitos de cada um não são sobreponíveis. A liberdade é, sem dúvida, polissémica e por Óis, e muito mais agora depois da tal União de Freguesias,  há muitas verdades semeadas de mentiras! Penso eu de que!...», comentou o d´Ois.

domingo, novembro 09, 2014

Os jacintos na pateira...



A pateira que tantos dizem amar, amar e amar, amar, amar, amar..., apresentava este aspecto, ao fim da manhã de hoje, quando por lá passámos em, passeio apeado. Como se vê é mesmo junto ao passadiço ao lado do coreto, em zona de treino dos canoístas da Arcor.
Se calhar, não é assim tão amada e, pelo menos, não é assim tão respeitada. E muito menos os canoístas, já que os jacintos, tal qual os vemos nas imagens, prejudicam as suas possibilidades de treino.

sábado, novembro 08, 2014

A ponte nova é uma miragem

A ponte nova de Óis estava assim no final da tarde de hoje. É uma verdadeira miragem. Com esta pressa e já vamos praticamente em meio ano de obras, ou sem obras, bem temos que esperar para seja feita nela possamos passar. 
Diz que agora o atraso é por causa das perfurações, que encontraram água. Olha que novidade encontrarem água naquele sítio, ali mesmo ao lado do rio. Se fosse petróleo... O estranho é como com tantos e tão modernos equipamentos não tivesse sido descoberta a água. E convém não esquecer que ainda há poucos anos, quando arranjaram a ponte, tiveram de fazer furos até quase 30 metros.

sexta-feira, novembro 07, 2014

Obras no caminho da Calçada


O caminho da Calçada vai entrar em obras. Terão de estar  prontas até 30 de Novembro.
Os “trabalhos” arrastaram-se em conflituosas Assembleias de Freguesia, até que o protocolo de 20 000 euros com a Câmara Municipal de Águeda foi aprovado na sessão de 29 de Setembro, não sem troca de acusações entre eleitos do PS e do PS e até com o abandono dos trabalhos, dos socialistas Diamantino Correia e Vital Santos.
O executivo de Mário Matins (PS) vai avançar com as obras de calcetamento, já adjudicadas a uma empresa de Arouca, e a única certeza é a de que “tem de estar concluídas até 30 de Novembro”.
“Se não estiverem prontas, não receberemos um tostão”, disse Mário Martins, queixando-se dos “atrasos de que não tem culpa, da aprovação na Assembleia de Freguesia”.

Notícia DAQUI

quinta-feira, novembro 06, 2014

Pérgola para que te quero...

A imprensa de Águeda noticia esta semana que trabalhos de construção da pérgola do lavadouro estão parados e que o presidente da União disse que foi pedido um exame de segurança da obra.
Se o fez, e nada indica que o não tenha feito, fez muito bem, depois do que ouviu na última assembleia, segundo relato dos jornais e por causa da segurança da tal pérgola.
Mário Martins disse a SP que “de jeito nenhum queremos que haja algum problema e muito menos depois de sermos alertados para a debilidade da sua construção”. Pois faz muito bem, avisado que está. Só não se entende como é que avançou para as obras sem antes ter feito o tal teste. Era mais seguro e responsável.

quarta-feira, novembro 05, 2014

O mistério das obras da ponte nova

A obras de construção da ponte  voltaram a estar paradas. Foram
retomadas na segunda-feira,  dia 3 de Novembro.
Os trabalhos, agora, segundo Jorge H. Almeida, vice-presidente da Câmara Municipal de Águeda, “envolvem a preparação da construção do encontro do lado do rio” -  o pilar de extremidade (de segurança) do tabuleiro.
“Foram complicados com a forte chuva que ocorreu e que obriga ao saneamento dos terrenos, para permitir a entrada das máquinas. O seu reinício ocorrerá logo que as condições do terreno o permitam”, disse a SP, acrescentando que “durante a perfuração para a construção das estacas, foi detectado artesianismo (excesso de água) em quatro locais, o que implicou a análise por sondagem, para posterior alteração do processo construtivo da estacaria”.
A situação motivou reuniões com o projectista, “para validação dessas alterações” - sendo essa a razão próxima da interrupção dos trabalhos.
“Relembro que, no processo de construção, a fase mais demorada e complicada é precisamente esta, a de execução das estacas, devido à imprevisibilidade da condição dos solos”, disse Jorge H. Almeida.

Foto e notícia DAQUI

terça-feira, novembro 04, 2014

Tiago Tavares no estágio da selecção nacional



O canoísta ribeirense Tiago Tavares foi mais uma vez convocado para o estágio da selecção nacional de sub-23 e vai frequentar o estádio que está realizar-se de 3 a 14 de Novembro, no Centro de Alto Rendimento de Montemor-o-Velho.
A imprensa de Águeda dá a notícia e o jornal do antigo presidente da direcção lembra que Tiago Tavares (sobrinho de outro ex-presidente) é, actualmente, medalha de bronze da Europa nos 200 metros em C1 e o oitavo melhor do mundo na mesma distância. Sabe sempre bem ler estas coisas de gente da nossa terra. Parabéns. 
Notícia e imagem  DAQUI

segunda-feira, novembro 03, 2014

Aniversário da Irmandade das Almas e de S. Miguel

A Irmandade das Almas e S. Miguel de Óis da Ribeira comemora amanhã o seu aniversário, embora tenha sido findada a 31 de Janeiro de 1944 - segundo uma informação escrita do padre Júlio Granjeia, de 2 de Novembro de 2006.
As celebrações estão marcadas para as 20 horas, na Igreja Paroquial, com missa e romagem aos dois cemitérios - o velho e o novo.
Ver AQUI

domingo, novembro 02, 2014

Obras da ponte outra vez interrompidas...

As obras da ponte estão paradas e ninguém sabe explicar porquê. Sabe-se, isso sim., que a máquina que fazia as perfurações para os pegões foi retirada já há mais de uma semana e não se vê ninguém na obra. 
A ida a Óis, nestes dias de luto novembrino, também nos entristeceu, por mais uma vez se confirmar que as autoridades não têm respeito nenhum pelos cidadãos, de quem fazem gato sapato. E já nem valerá a pena o vereador Almeida lá voltar a dar explicações e pedir desculpa, pois já ninguém acreditará nele.
Vão gozar com o caraças...

sábado, novembro 01, 2014

Todos os Santos de Óis da Ribeira

A celebração de Todos os Santos foi hoje em Óis da Ribeira, com celebração de missa, às 11 horas, seguida de romagem aos dois cemitérios. Socorremo-nos da página de facebook do padre Júlio para  mostrar algumas imagens do dia - nas quais de reconhecem muitas pessoas que raramente se vêem, salvo mesmo neste mesmo dia.
Ver AQUI