sexta-feira, outubro 31, 2014

O rio Águeda em Óis da Ribeira

O rio Águeda em Óis da Ribeira. A foto não sabemos de quem é, mas é de pelo menos o ano de 2006. Teremos muito gosto em aqui indicar o nome. Foi encontrada na net e perdemos-lhe o rasto!!

quinta-feira, outubro 30, 2014

Magusto e aniversário da Tuna Musical

A Tuna Musical de Ois da Ribeira está a preparar a festa do 117º. aniversário e, entretanto, vai realizar o magusto anual.
A tradicional iniciativa de S. Martinho está marcada para a tarde (15 horas) de domingo, dia 9 de Novembro, no espaço envolvente da sede, e a direcção de António Manuel Melo convida todos os sócios, ribeirenses e amigos”.
A colectividade musical ribeirense, entretanto, vai actuar no Concerto de Outono da Associação Cultural de Recardães (ACR), marcado para 15 de Novembro, às 21 horas.
O aniversário dividir-se-á por dois dias: 29, sábado (com arruada vespertina na freguesia, a partir das 14 horas) e 30 de Novembro, domingo - com missa solene (9 horas), seguida de romagem ao cemitério, de um mini-concerto, no Pôr-do-Sol (12,15), e do almoço de confraternização e de festa.

Notícia e imagem DAQUI

quarta-feira, outubro 29, 2014

Ai os narizes a crescer...


Não faças aos 
outros ribeirenses
que desejas para ti!!!
\\\///
- 2x3: Em verdade, verdade vos digo, na verdade, que os outros podem muito bem e com todo o seu legítimo direito
ter desejos diferentes! 
E podem também, quem sabe?,
crescer os narizes!!!

terça-feira, outubro 28, 2014

Todos os Santos em Óis da Ribeira

A celebração de Todos os Santos e a romagem aos cemitérios de Ois da Ribeira será a 1 de Novembro.
O programa começa com a  celebração da missa, na igreja paroquial, seguindo a romagem aos cemitérios - ao velho (mesmo ao lado do templo) e ao novo, a uma centena de metros, nos Arais.
Notícia DAQUI

segunda-feira, outubro 27, 2014

Os paraquedistas e os que deixam saudades...


«Nunca faltes ao trabalho, pois é aí que o teu patrão pode ver
que não precisa de ti!», aconselhou o Três.
Será por isso que muita gente em Óis já se começa a lembrar de alguns senhores da política de há pouco mais de um ano e que agora estão desempregados? Será que fazem falta e precisamos deles?», perguntou d´Óis.
«Quiçá, quiçá...». disse o Três, a lembrar-se do lixo que encontrou nas margens de Óis da pateira.
«Vieram para aí una paraquedistas que não percebem nada disto e só  nos querem tramar», disse o Três.

domingo, outubro 26, 2014

Tomar chá...


«Gosto muito de chá. Tomar chá é, por si só, um ritual, uma paixão...», comentou o d´Ois.
- «Olha lá, vai mas é dar o chá a outro...», respondeu o Três.
- «Há inúmeros pormenores a considerar para se fazer um bom chá!!! É preciso saber-se....», disse o d´Ois.
- «Estás hoje com muitos preciosismos, mas não me convences, pá. Vai mas é servir o chá em outro pires...», exclamou o Três.

sábado, outubro 25, 2014

As obras da ponte, ai, ai, ai...

As obras da ponte estavam assim, na tarde de hoje, dia 25 de Outubro de 2014, dois meses e meio depois de terem recomeçado. 
Um dia se saberá do buraco que que meteram Óis. Depois dos dois dias em que não se pôde passar, por causa das cheias, perceberemos na pele, um dia, de que lado estará a razão, a responsabilidade, o desenvolvimento. o progresso..., ou a incompetência, o laxismo, a leviandade!!!

quinta-feira, outubro 23, 2014

As coisas que não voltam para trás...

«Sabes tu, ó Três, quais são as quatro coisas que em Óis nunca voltam para trás?...», perguntou o d´Ois.
«Quatro coisas que não voltam para trás??!...», admirou-se o Três, perguntando «o que é, então?».
«Claro, pá: a pedra atirada, a palavra dita, a ocasião perdida e o tempo passado...», disse o d´Ois, cheio de sorrisos.
«Acho que andas a filosofar muito e a mandar muitas calhoadas...», disse o Três. «E isto agora - acrescentou - nem é Óis, é TravassÓis!"»

A casa não há meio de ir abaixo






A imprensa de Águeda informa que a casa em frete à igreja ainda não é desta que vai abaixo, por procedimentos legais. Quais são eles é que o jornal não diz, limitando-se a referir que estão por concluir.
Assim sendo, vá lá saber-se porquê, continuará a casa por demolir embora até se dissesse que iria abaixo antes das eleições autárquicas de 2013, já lá vão quase 13 meses. Saliente-se um motivo nobre, que é o alargamento da curva da rua Benjamim Soares de Freitas. Mas ver, a esperar.  

quarta-feira, outubro 22, 2014

A agricultura de Óis da Ribeira


«Ouvi para aí dizer que os problemas d´Óis são essencialmente agrícolas...», comentou o Três.
- Nem mais....», disse o d´Óis. «É excesso de nabos, falta de tomates e muito grelo abandonado...».
«Mas está a falar de agricultura, ou do quê?», perguntou o Três, a torcer o nariz ao inesperado comentário.
«Estou a falar disso mesmo que tu estás a pensar...», respondeu o d´Óis. «É que - acrescentou - o nabal é grande e grandes são os nabos. E há muito falta de tomates... E já nem falo dos grelos...».

terça-feira, outubro 21, 2014

Os espelhos na cara de uns e outros...

«Infância é época da vida em que fazemos caretas para o espelho», divagou o d´Óis, a pensar nos tempos em que esganava as borbulhas da adolescência.
«Eram outros tempos, atá havia respeito entre os políticos da terra». retorquiu o Três.
«Pois era!!! Agora, olham-se na cara e fazem-se de espelho, pois são todos iguaizinhos uns aos outros», disse o d´Óis.
«Nem mais, nem menos...», sorriu-se o Três. «São farinha do mesmo saco, mas com farelo desigual».

segunda-feira, outubro 20, 2014

As cheias isolaram Óis da Ribeira...

O padre Júlio é que nos informa como é que é, é o jornalista da terra, contando por imagens as cheias de 16 de Outubro. ma teríamos dado por elas, não fosse a sua página de facebook. Ora ali está a placa de trânsito proibido, porque a estrada está inundada. La teve de ir à volta por Águeda e Recardães, pois também, não se passava em Espinhel.
Aconteceu a ele e, obviamente, a todos quantos diariamente passavam pelo aterro e agora não podem. E quem não pode, amocha ante quem manda.
Sorte, a do d´Óis Por Três, quando por lá passou no sábado.
Fotos DAQUI

domingo, outubro 19, 2014

Jacintos na margem da pateira de Óis




As cheias vieram e os jacintos subiram e fixaram-se na margem, como se vê nas duas fotografias de ontem, tiradas no parque da pateira de Óis da Ribeira. 
Já houve tempo em que eram depressa tirados de lá. Agora, ficamos unidos na esperança e aguardamos que não fiquem por lá muito tempo. A ver vamos.

sábado, outubro 18, 2014

As obras de ponte nova... em vez do aterro

A construção da ponte que substituir o aterro estava assim  na tarde de hoje, com água da cheia que, também soubemos hoje, impediu a passagem pelo desvio durante todo o dia de 5ª.-feira passada.
As obras decorrem há semanas e por lá anda alguns homens, poucos, pelo que a velocidade dos trabalhos é curta.
O piso do desvio, hoje, estava todo enlameado, como é natural, pelo que uma vez mais não se entende porque não foi asfaltado, mas manda quem pode e lixa-se quem tem de se lixar.

sexta-feira, outubro 17, 2014

O Sócrates e o Coelho, que nos fazem andar a passo,..


- «Sabes qual é a diferença entre o Sócrates dos gregos e o nosso Sócrates?...», perguntou o Três.
- «Ora, está no método, pois o primeiro achava que ia chegar à verdade debatendo com os outros e o segundo, o nosso,  não acha nada, nem debate. Só manda bitaites na televisão», respondeu o d´Ois.
- «E o que me dizes do Coelho», perguntou o Três.
- «Esse?! Esse faz-nos andar a marcar passo miudinho», disse o d´Óís, chateado da moleirinha por ter de ir dar a volta a Águeda para chegar a casa da família.
- «Isso foi culpa de quem, da chuva, só pode...», opinou o Três.
- «A culpa é da União, que tem as freguesias desunidas e não é por causa das cheias, é da água que os políticos metem», retoorquiu o d´Óis.

quinta-feira, outubro 16, 2014

Cemitério tem mais campas e uma capela



O cemitério novo tem mais 5 campas e está uma capela em construção.
Promessas da lista vencedora das últimas eleições autárquicas, a socialista de Mário Martins, eram construir ossários nos cemitérios paroquiais (que já existia em Ois da Ribeira), espaços para as ferramentas dos coveiros (idem), a eliminação de barreiras arquitectónicas (que não existem nos dois espaços ribeirenses) e a criação do regulamento.
Faltará cumprir, em Ois da Ribeira,  esta prioridade, a única que supostamente faltava e sobre a qual não se conhece deliberação. Não foi, pelo menos, a nenhuma Assembleia de Freguesia.
Notícia e foto DAQUI

 

quarta-feira, outubro 15, 2014

Semana Sénior e dia das bruxas na Arcor

A Arcor celebra amanhã o Dia da Alimentação com as valências sociais de infância e 3ª. Idade. E sexta-feira terá uma acção de sensibilização da GNR, dirigida ao centro de dia e comunidade. 
A Semana Sénior irá decorrer de 26 a 30 de Outubro, subordinada ao tema «De mãos dadas, vamos crescer e reabilitar a qualidade». 
A GNR voltará a 28, desta feita para falar aos utentes do apoio domiciliário. Dia 31, será o dia da Bruxas - o de Halloween.

terça-feira, outubro 14, 2014

Por falar em coisas da terra...





«A diferença entre o assaltante da minha casa e o político da minha terra é que um sou eu que escolho... O outro escolhe-me a mim!!!", considerou o Três.
«E vem isso a propósito de quem ou do quê?», perguntou o d´Óis.
«Ora, vê-se logo que andas a leste da política e dos políticos da terra», riu-se o Três, a bater o dedo por cima do ombro.
Tenho dito.

segunda-feira, outubro 13, 2014

A casa não vai abaixo...

Faz tempo que esta casa está para ser posta abaixo, mas não há maneira de ir. O d´Óis Por Três lembra-se de ter ido a Óis, ainda antes das eleições de há mais de um ano, e já se falar nisso. Dizia-se até que seria demolida ainda antes das eleições. Só que ainda não foi. 
Fala-se à boca pequena que há uns problemas a resolver entre a proprietária e a Câmara e que é por isso que não é posta abaixo. Será, não será, não se sabe. Sabe-se é que a casa ainda lá está, mesmo em frente à igreja.

domingo, outubro 12, 2014

Óis da Ribeira na Wikipédia...

O d´Óis Por Três surpreendeu-se por se encontrar na página da Wikipédia que fala de Óis da Ribeira. Lemos com atenção e verificámos que tem algumas inexactidões.
Por exemplo:
1 - Não foi agregada a Travassô. Forma com Travassô a União de Freguesias.
2 - A sede da União de Freguesias não é em Travassô, é em Óis da Ribeira.
3 - Águeda não faz limite com Óis da Ribeira.
4 - Espinhel fica a sul e sudeste.
5 - A Comissão de Gado Bovino não existe.
Com tantos erros em tão pouca informação (e não estão todos apontados) podemos imaginar as inexactidões que vão por essa wikipédia fora.    

sábado, outubro 11, 2014

A união desunida de TravassÓis



- «Acho eu, cada vez mais é mais
perigoso ter razão quando o Governo
não a tem...», considerou o Três.
- «Se calhar, digo eu... é por isso que
cada vez mais temos menos governo e mais razão...», retorquiu o d´Ois.
- «Estás a falar do Passos Coelho, ou de quê?», quis saber o Três.
- «Falo da desunião de TravassÓis», explicou o d´Óis

sexta-feira, outubro 10, 2014

ARCOR em 14º. lugar no ranking nacional de canoagem



A imprensa desportiva de Águeda noticia esta semana que a Federação Portuguesa de Canoagem atribuiu à Arcor o 14º. lugar do Ranking Nacional de Clubes de 2014. 
Noticia também que o ranking teve alterações significativas a vários níveis. A principal novidade foi a inclusão dos campeonatos regionais na pontuação, considerando o número de atletas participantes nestas competições.
O clube de Ois da Ribeira foi o segundo melhor do distrito, depois do Saavedra Guedes (oitavo lugar e 320 pontos).
Os seguintes:
- Pista (85): 39 daTaça de Portugal 45 de campeonatos nacionas e um do regional.
- Fundo (56): 37 da TP, 18 dos CN e um dos CR.
- Maratona (12): 6 da TP, 35 dos CB e um dos CR.
- 1ªs. Pagaiadas: 15 dos CN e um dos CR.
- Veteranos (26): 26 do CN.
Classificação: 1º-CN Ponte de Lima, 649; 2º.-Crestuma, 551; 3º.-Prado, 447; 8º.Saavedra Guedes, 320; 14º.-ARCOR, 231; 23º.-CC Ovar, 1117; 48º.-IDEC, de Cacia, 32; 54º.-CND de Requeixo, 21 (de pista, 8 de fundo, um de maratonas, 2 de esperanças e 7 de 1ªs. pagaiadas); 66º.s-CN Ílhavo e Vikings, de Sever do Vouga, 1.

Notícia DAQUI

quinta-feira, outubro 09, 2014

Carro de ucraniano caiu ao rio

Tavkiz Zagidevll, de 58 anos, é imigrante ucraniano e caiu ao rio Águeda, dentro do seu Seat branco. «Abri o vidro e saí», disse a SP. E, depois, salvou o cão.
O acidente ocorreu a meio da tarde de sexta-feira, 3 de Outubro, no entroncamento do caminho da Calçada com o paredão para Requeixo, entre os Pinheiros e os Portalvares. Sabe-se lá porquê, Tavkiz Zagidevll não virou à esquerda, seguiu em frente e caiu ao rio. Saiu da água, foi a casa, a Requeixo, mudar de roupa e quando voltou já bombeiros e mergulhadores procuravam sobreviventes.
Um popular (António Reis) passou no local e foi quem avisou as autoridades, que logo compareceram. O imigrante seguia só, no carro, apenas com o cão, e não soube explicar como foi parar à água, que no local tem altura próxima dos 4 metros.
Noticia e foto DAQUI

quarta-feira, outubro 08, 2014

Per(g)ola é um perigo para o lavadouro



O protocolo da União de Freguesias com a Câmara de Águeda, no valor de 20 000 euros e para o Caminho da Calçada, foi aprovado por unanimidade e motivo de farta discussão na última Assembleia de Freguesia. Mas não foi apresentado e muito menos votado na Assembleia Municipal.
O que é que lá se vai fazer, ou não vai, no Caminho da Calçada, foi questão repetidamente posta ao presidente Mário Martins: “A única coisa que penso fazer lá, é uma calçada”.


Pateira e pérgola
Hercílio Almeida, no tempo reservado ao público, questionou Mário Martins sobre a limpeza do parque da pateira, a colocação de editais, o herbicida usado nas valetas, vacinas dos cães e a segurança da pérgola sobre o lavadouro. “O busilis”, disse, é que “há risco de derrocada”.
“A obra foi feita de forma leviana. Quem é responsável, se morrer alguém?”, perguntou Hercílio de Almeida, também questionador sobre a (falta de) limpeza do caminho novo e a plataforma de canoagem.
“O senhor comprometeu-se e ainda está tudo por fazer. Isso não se faz! Lamentavelmente, falta à verdade, isto, tecnicamente, chama-se mentir. Uma vez mais me mentiu”, disse, exaltado e apontando a Mário Martins. 
O presidente da UFTOR admitiu “concordar a 100% com algumas coisas ditas, que também nos envergonham, por exemplo ver o parque da pateira sujo ao fim de semana”.
”Há coisas que tem de ser mudadas em Ois da Ribeira, tem sido mal feitas”, disse Mário Martins. Por exemplo: “Herdámos um lavadouro sem água e agora já está reparado”.

Ouvir o que não se diz
António Cadinha, sobre a placa do lavadouro e referindo que participou na sua antiga construção, disse que “não tem segurança nenhuma” e, frisou, “sei do que falo”. Mário Martins deu troco: “Há pessoas que aprendem a ouvir o que eu não digo”.  E mais não disse sobre este assunto, a não ser “pensar que tomámos todas as medidas de segurança necessárias”.


Câmara paga
O protocolo com a Câmara Municipal de Águeda estava previamente aprovado e apenas precisava do aval da Assembleia de Freguesia para ser executado.
“O único impedimento era esse. Por nós, o protocolo avança já e tem de ser cumprido até 30 de Novembro. Em tempo próprio, será liquidado”, disse o vice-presidente Jorge H. Almeida, ouvido por SP.
“Não foi, nem tinha que ir à Assembleia Municipal”, precisou o autarca camarário.

VER EDIÇÃO SP IMPRESSA

terça-feira, outubro 07, 2014

Óis da Ribeira no mundo...


Ois da Ribeira vista no site Tageo.co, da Geography
Population Map City.
Um pontinho muito pequenino aos olhos da dimensão e imensidão do mundo, mas gigante para o corações dos ribeirenses.

segunda-feira, outubro 06, 2014

As catequistas da Paróquia de Óis da Ribeira

A Paróquia de Óis tem novo grupo de catequistas, umas que continuam e outras que regressam. Reuniram, a 15 de Setembro e foram empossada na missa dominical de ontem. Saíram, Lurdes Cadinha (que era catequista vai para 30 anos) e António Horácio (o único elemento masculino dos últimos anos).
A imagem foi tirada da página de facebook da Paróquia e mostra o padre Júlio Granjeia e as catequistas Sara Tavares (9º. ano), Anabela Neves (3ª..), Sandra (3º.), Teresa Framegas (4º.), Lucínia (5º. e 6º.), Ana Framegas (8º.), Ondina (2º.) e Otília (10 e 11º).
O 1º. ano só tinha uma criança, que, segundo a mesma página, irá ser reencaminhada para outro Centro.



domingo, outubro 05, 2014

O flho de emigrante que faleceu em Óis da Ribeira




A morte de Rúbens Pires dos Reis, súbita e na tarde de 6ª.-feira, suscitou ao d´Óis Por Três a curiosidade em saber mais da família, que sabemos estar intimamente ligada ao Clã dos Reis, talvez o maior da freguesia.  
Hoje, em conversa de almoço, ficámos a saber que o advogado viajava com uma filha e um neto e que já esteve outras vezes em Óis e que esta era por ele dita como a última, até pela sua idade. Ficámos a saber que a filha que o acompanhava se chama Ângela Reis e foi da página de facebook dela que soubemos mais pormenores. É de lá esta foto, com mais de 80 anos. A criança é o falecido de agora, com os pais. O pai chamava-se José Maria e era de Óis da Ribeira.
A foto de cima, da mesma página e recente, mostra Rúbens Reis e a filha (à esquerda). O neto Igor é o terceiro a contar da direita (de barba).

sábado, outubro 04, 2014

As obras da nova ponte...

As obras da ponte na tarde de hoje, Com este andamento e o número de homens que lá trabalham, nunca mais tempos ponte. E lá tivemos de voltar a lavar o carro, que se encheu de pó no desgraçado do desvio de terra que a Câmara de Águeda teima em não quer alcatroar, só por birrice pois a lei que o vice-presidente diz que a impede de põr o alcatrão é a mesma que não impede o alcatrão na rampa que agora dá acesso à ponte, nem impedia no aterro, nem vai impedir nos futuros acessos. Deve ser para castigar a malta de Óis, só pode.

sexta-feira, outubro 03, 2014

Morte súbita de um brasileiro em Óis

Um cidadão brasileiro, cujo pai era natural de Óis da Ribeira, faleceu hoje, 3 de Outubro de 2014, subitamente, quando chegava a casa de familiares da rua do Cabo. De morte súbita, por volta das 16 horas da tarde e embora ainda tenha sido transportado ara o hospital de Águeda. É da família Reis, sendo seu pai (cujo nome desconhecemos) irmão do falecido sr. Augusto Pires dos Reis (pai de Amélia, Tobias e Lurdes) e de Sebastião (pai de Neca e Rogério e sogro de Messias), entre outros. 
Andava em férias na Europa, com uma filha e um neto, e estava a chegar a Óis, onde iriam passar alguns dias. 

quinta-feira, outubro 02, 2014

Onde vai parar a Assembleia de Freguesia de TravasÓis?


Isto é lido, mas nem 
dá para acreditar:

A Assembleia de Freguesia de Travassô e Ois da Ribeira reuniu a 29 de Setembro e aprovou o protocolo de 20 000 euros com a Câmara.  Por unanimidade, mas com troca de acusações. Os socialistas Diamantino Correia e Vital Santos abandonaram os trabalhos. Houve quem pedisse a GNR para a próxima sessão e também quem mandasse o PAF ir “pentear macacos”.
A sessão começou com Sérgio Neves (PAF) a formular o desejo de que a Assembleia “corra bem, sem episódios como os que já assistimos”. De pouco valeu. Não tardou muito que, entre ele e Mário Martins (presidente da União), se trocassem palavras menos simpáticas, até azedas, mandando-se calar um ao outro. Ora porque as convocatórias foram mal feitas (por Sérgio Neves), ora porque Mário Martins não recebeu correio registado e lhe depositou documentos no portão da casa
“O senhor, aqui, não viola a lei. Ou cumpre, ou pede a demissão e vai embora”, chegou a dizer Mário Martins, a  Sérgio Neves - que retorquiu, acusando-o de “estar a bloquear a Assembleia, para depois dizer que não aprovámos o protocolo” - o dos 20 000 euros,  para o caminho da Calçada, em Ois das Ribeira.

Uma vergonha
A troca de mimos e várias interrupções, levaram Diamantino Correia a intervir: “Estou farto disto. Ou isto muda, ou  vou-me embora”.
Iria, com Vital Santos, menos de uma hora depois de se iniciaram os trabalhos - já depois de Sérgio Neves confessar, por mais de uma vez, “não conseguir tomar conta da Assembleia”, depois de uma série acalorada de altercações com Mário Martins, gargalhadas e risos do público.
“Isto é uma vegonha. Ninguém cumpre nada”, disse Diamantino Correia, frisando que “a Junta não dá nenhuma informação, que pedimos, sobre o seu funcionamento. Andamos todos a perder tempo”.
Sérgio Neves mandou Mário Martins sentar-se, dizendo que “isto não é um comício”, quando o PJF mais uma vez afirmava que ”a ilegalidade das AF vem desde a sessão de 19 de Dezembro de 2013”.
“Já não há respeito por nada”, disse  Sérgio Neves.
“Ai não há, não...”, respondeu Mário Martins.
Eram 21,58 horas e Diamantino Correia e Vital Santos, de paciência esgotada, abandonaram os trabalhos.

Chamar a  GNR
“Continuamos, ou não?”, interrogou Sérgio Neves, acusando Mário Martins de “cada vez mais tentar manipular a Assembleia e não responder ao que lhe perguntam”.
“Porque é que tenho de ser enxovalhado? Todo esse alarido, é para me denegrir”, queixou-se Sérgio Neves.
“Não é nada, é para te ensinar”, disse-lhe Mário Martins, anunciando “uma coisa muito engraçadinha”.
Não chegou a mostrar, interrompido por Germano Venade, ribeirense do PSD: “Na próxima Assembleia, quero a GNR aqui, para pôr na rua quem se porta mal”.
“Ao insultar esta Assembleia, está a  insultar o povo de Ois da Ribeira e de Travassô”, frisou Germano Venade. Dirigia-se a Mário Martins e diria mais tarde: “Este executivo está ferido de incapacidade, porque não sabe lidar com a democracia. Não tem repeito pela AF e por quem ela representa. Está a usá-la como máquina de lavar roupa suja, só por interesses pessoais”.

Protocolo aprovado
Não teve troco de Mário Martins e passou-se  ao  ponto do protocolo com a Câmara. “Gostam tanto de papéis, aí os têm, leiam...”, disse o PJF.
“Isto não é nada, é um osso que se atira aos cães”, reagiu Venade, sobre os documentos.
“Empresto-lhe os óculos”. retorquiu Mário Martins, acrescentando que “responsabilizo especialmente a Mesa, se não for aprovado o protocolo”.
Foi aprovado por unanimidade, sem os votos dos socialistas Diamantino Correia e Vital Santos (que tinham abandonado os trabalhos) e de  Filipe Almeida (que não esteve na sessão).
Os trabalhos continuaram, e também as picardias. Mário  Martins queixou-se de as duas freguesias terem recebido menos 40 000 euros que em 2013 e Manuel Almeida “Capitão” abdicou de intervir, para “não atrasar os trabalhos, depois do sr. presidente falar tanto”.
“Disse alguma mentira?”, perguntou Mário Martins.
“Outra vez!”, exclamou Manuel Capitão, já por ele chamado mentiroso, na última AF.
“Veja lá se lhe cai um dente”, disse Mário Martins - que, noutra troca de galhardetes, ainda diria a Sérgio Neves para ir “pentear macacos”.
Tirado DAQUI 

Canoagem da Arcor de ouro, de prata e de bronze


A ARCOR ganhou 8 medalhas de ouro na época de canoagem que agora terminou. E 9 de prata e 5 de bronze.
O ranking oficial da Federação Portuguesa de Canoagem, agora conhecido, dá conta do posicionamento dos clubes. O Crestuma foi o mais medalhado do campeonato nacional, com 56, 30 de ouro. O Ponte de Lima com 37 delas de ouro, foi segundo; o Águas Bravas foi o terceiro (22). O clube de Ois da Ribeira ficou em décimo lugar, com 13 medalhas: 5 de ouro (títulos de campeão nacional), 5 de prata e 3 de bronze.
- Velocidade: 4 de ouro, 4 de prata e 2 de bronze.
- Maratonas: uma de ouro e uma de bronze.
- Esperanças: uma de prata.
Outros clubes de Aveiro: 26º.-Torreira, duas de ouro e duas de bronze; 9º.-SC Aveiro, 5 (uma de ouro, duas de prata e duas de bronze); 37º.-CC de Ovar, 4 (três de prata e uma de bronze; 44º.-Requeixo: uma de bronze (velocidade).
- TAÇA: A ARCOR ganhou 9 medalhas na Taça de Portugal: duas de ouro e uma de prata (em velocidade), uma de ouro, duas de prata e uma de bronze (fundo) e uma de prata e uma de bronze (maratonas).
O clube mais medalhado foi o Ponte de Lima (73), o Requeixo foi o 39º. e último: uma medalha (velocidade).

VETERANOS: A ARCOR foi o terceiro melhor clube do ranking nacional de veteranos, com 137,1 pontos.
O clube de Ois da Ribeira  conquistou 75,2 de resultados em provas de pista, 46,5 nas de fundo, 3,4 nas de maratonas e 6,6 nas de águas de mar.
O  melhor classificado foi o Vilacondense (147,1 pontos), seguido do Crestu
ma (145,8). Clubes de Aveiro: 25º.-CC Ovar, 24,3; 26º.-SC Aveiro, 21,1. Último, o 39º.-Alcoutim, 22. 

Notícia DAQUI

quarta-feira, outubro 01, 2014

Arcor tem aulas de apoio ao estudo

A Arcor tem um novo serviço para utentes, sócios e comunidade, integrado no “Projecto para Si…” e com uma sala de aula de apoio ao estudo.
 O objectivo é responder às necessidades da comunidade e proporcionar, aos alunos do 1º. e 2º.  ciclos, um espaço para melhorarem níveis de conhecimento, facilitar aprendizagens e promover o desenvolvimento pessoal.
O serviço tem apoio de profissionais competentes. Diz a Arcor que investe no desenvolvimento das competências escolares das crianças e jovens, mas também na promoção das suas competências pessoais e sociais.
Os interessados, para terem informações e esclarecerem dúvidas, podem ligar para os telefones 234629818 ou 913392524