sábado, dezembro 31, 2016

Natal da Arcor mesmo depois do... Natal

O Natal de 2016 foi celebrado na Arcor, com liturgia do Padre Júlio Granjeia, o pároco local.
O cerimonial decorreu no dia 27 e na sala do centro de dia da instituição, tendo o sacerdote sido convidado a fazer Natal, mesmo depois do... Natal.
Ver AQUI

A morte de Lúcia Matos Mesquita

A comunidade ribeirense está de luto pelo falecimento de Lúcia Matos Mesquita, de 84 anos, que actualmente estava no Lar de Requeixo. Era filha de Óscar Pereira de Matos, que foi maestro da Tuna, e irmã de Hostilino, Glorentina, Armando (ausente na Venezuela), Carlos, Idília (já falecida), Lucília e Madaíl Almeida Matos. O funeral realiza-se esta tarde, dia 31 de Dezembro de 2016, às 16 horas, da casa mortuária de Ois da Ribeira para o cemitério local.




sexta-feira, dezembro 30, 2016

Arcor sem candidatos para os órgãos sociais...



A assembleia eleitoral da Arcor, marcada para a noite de hoje, foi adiada por falta de lista de candidatos. Nem uma. O mesmo que ontem aconteceu com a Tuna, ou Associação Filarmónica de Óis da Ribeira.
O comunicado do presidente da direcção da Arcor, sr. Manuel Soares dos Reis e Santos, informa que «por delegação do sr. presidente da assembleia geral», o sobrinho e causídico dr. Paulo Alexandre de Medeiros Teixeira e Santos, e «por não ter sido apresentada quaisquer lista de candidatos à eleição para os órgãos sociais da Arcor, não se realizará o acto eleitoral agendado para o dia 30/12/2016, das 19,30 às 21,30 horas». Precisamente na noite de hoje, 24 horas depois do «intervalo» eleitoral da Tuna. Há crise de valores directivos nas duas instituições de Óis da Ribeira.
Não diz o comunicado do delegado Santos, em nome do delegante Santos, mas depreende-se que a assembleia eleitoral da Arcor se realizará em data a indicar, oportunamente e logo que apareça lista de candidatos.
É surpreendente e preocupante este vazio directivo da Arcor, sem sucessores para continuar uma instituição que dentro de menos de um mês, completará 38 anos de existência e com uma obra notável, para uma terra como Óis da Ribeira. Melhores dias virão e mulheres e homens ribeirenses se disponibilizarão para servir a causa associativa.

quinta-feira, dezembro 29, 2016

Tuna sem candidatos, adiou assembleia eleitoral




A assembleia eleitoral da Tuna/Associação Filarmónica de Óis da Ribeira foi adiada para data a indicar, devido à falta de lista de candidatos.
O acto eleitoral estava marcado para a noite de hoje, dia 29 de Dezembro de 2016, na sede da Rua Jacinto Bernardo Henriques, e com toda a naturalidade se expectava que surgisse uma lista, naturalmente, ao menos, a proposta pela actual direcção, presidida por António Melo. Só que tal não se verificou. Nem ele mesmo, que agora acabará o primeiro mandato de presidente da direcção, depois de alguns anos como presidente da assembleia geral.
Por outro lado, e depois da extraordinária alteração estatutária que levou a centenária Tuna a mudar de nome, era esperado que redobradas dinâmicas se multiplicassem no espírito associativo tunante. Por exemplo, e sem dúvidas, que os proponentes de tal iluminada mudança a assumissem de corpo inteiro, levando por diante o fabuloso projecto alternativo. Mas não, ao que se vê.
O comunicado da presidente da assembleia geral, a deputada Carla Tavares, é taxativo: «Não tendo sido apresentada nenhuma lista, até às 21 horas do dia 28 de Dezembro de 2016, ficará sem efeito a Assembleia Eleitoral que teria lugar hoje, 29 de Dezembro, na sede da associação». 
Ora aí está um bom desafio para a ilustre parlamentar ribeirense: mover influências, gerir a crise directiva e apresentar novos órgãos sociais. É assim, como todos sabemos, que se afirmam os grandes valores.

quarta-feira, dezembro 28, 2016

Lista da Arcor até às 19 horas. Quem será, quem será?


O edital de convocatória das eleições da Arcor marca para as 19 horas de hoje a entrega das listas de candidatos, sendo que o acto eleitoral propriamente dito decorrerá entre as 19,30 e as 21,30 horas de 30 de Dezembro de 2016, sexta-feira próxima.
O d´Óis Por Três procurou saber de listas que se candidatem, e da sua composição,  mas não teve qualquer sucesso, pois ninguém soube dizer nada como certo. Nem sequer se havia listas.
Sexta-feira, dia 30 de Dezembro de 2016, se saberá quantas se apresentarão hoje e quem serão os próximos donos da Arcor. Talvez para se recuperarem alguns projectos que se terão perdido no tempo, por falta deste ou de capacidade de empreendedorismo directivo. Sabe-se lá porquê! 

terça-feira, dezembro 27, 2016

O teatro que se ensaiava na Arcor há... 12 anos!

O Grupo de Teatro Amador (GTA) da ARCOR está a ensaiar a nova peça, desde há já algumas semanas e para estrear em data a anunciar. Trata-se de «O Arcanjo Negro», de Aquilino Ribeiro, adaptada por Luís Oliveira Guimarães.
O director artístico do grupo continua a ser Arlindo Reis e o grupo, coordenado pelo seccionista Porfírio Tavares Pires, tem vindo a ensaiar no centro social – na cave poente, precisamente sob o salão cultural e onde se prevê que venham a instalar os camarins e guarda-roupa. Seguramente preparando-se para os êxitos de últimas épocas artísticas.
* ELENCO: Há algumas novidades em termos do elenco de actores amadores do grupo, relativamente à última época artística – nomeadamente com as entradas de Cristina Silva, Sandra Pereira e Luís Tavares. Continuam Paulo Rogério Framegas, Liliana Alves, Paulo Gomes, Isaltina Pires, Pedro Soares e António Prazeres. Carla Rodrigues e Carlos Pereira serão os pontos e a encenação será do próprio grupo.
* PALCO: Outra novidade do Grupo de Teatro Amador (GTA) será o local de actuação – definitivamente no salão cultural do Centro Social, onde no dia 17 de Dezembro foi instalado o palco, estreado nessa mesma noite, com a festa de Natal das valências sociais. Fonte: www.padrejulio.net
A notícia que acima se lê, infelizmente, não é actual. É de 27 de Dezembro de 2004 e está publicada no site «Óis da Ribeira - Notícias, Curiosidades e Histórias», do engº. Luís Neves. Isto quer dizer, na prática, que há 12 anos havia teatro em Óis da Ribeira e na ARCOR. E houve, por mais uns anos, até 2011, quando se representou «O Avarento», de Molière. Depois disso, népia, e já lá vão 5 anos e parte do mandato do presidente João Gomes e quatro da presidência de Manuel Soares.
Assim se matam tradições culturais que, no caso do teatro e em Óis da Ribeira, são centenárias. Provavelmente, ninguém é responsável, ninguém se acusa de deixar morrer o teatro. Também é por isso que, na efeméride de hoje, fica a mágoa desta perda e da de outras. Pode ser que a nova direcção, há eleições no dia 30, sexta-feira, ponha mãos à obra e arranje obra ara levar aos palcos.

segunda-feira, dezembro 26, 2016

Junta convida população a levar jacintos da pateira


A Junta da (des)União de Freguesias de Travassô  e Óis da Ribeira - ou TravassÓis -, em aviso público, anunciou que «a partir desta data irá proceder à extracção de jacintos da Pateira». Diz mais a mariana autarquia, neste aviso: «Apelamos à colaboração dos cidadãos que os pretendam e que possuam terrenos de fácil acesso que contactem esta Junta de Freguesia».
Duas considerações, entretanto e muito breves:
1 - O aviso é aviso, porquê? Não devia antes ser um convite? Ou meramente um edital? Aviso, de avisar, é, segundo o Dicionário Online de Português, uma de duas coisas: Informar, fazer saber, que é avisar alguém de sua chegada. Ou prevenir, aconselhar, que é como quem diz «quem avisa amigo é». De resto, como o tal aviso acaba por ser uma forma de «apelar à colaboração dos cidadãos», porquê, então, a intimidação? Se está a apelar!...
2 - O aviso avisa que «a partir desta data». Ora, qual data, qual dia do mês de Novembro de 2016? A gente percebe o que se pretende, mas não ficava nada mal pôr lá o dia.
Já agora:
3 - O aviso do executivo não é assinado por ninguém? Não leva carimbo da União de Freguesias? Não leva qualquer coisa oficial que o diferencie de um panfleto anónimo?
E ainda:
4 - Como estão ou vão ser apanhados os jacintos? Ontem era dia de Natal, 25 de Dezembro de 2016, e com a draga aparentemente não era. Não a vimos, quando passámos na pateira. Estaria arrumada em algum hangar aquático? Só se estava.
A terminar:
5 - Só levarão os jacintos a terrenos de fácil acesso? E a Junta tem arranjado alguns caminhos para os facilitar?
- Nota: a imagem foi retirada
 da net e não é actual.

domingo, dezembro 25, 2016

Tuna/Filarmónica de Óis da Ribeira em assembleia eleitoral




A última semana deste ano de 2016 que está quase a acabar terá duas assembleias eleitorais associativas em Óis da Ribeira. 
Já era conhecida a da Arcor (no dia 30 e para um mandato de nada mais nada menos que 4 anos), mas sabe-se agora que a Tuna/Associação Filarmónica também vai eleger novos órgãos sociais no dia 29 - neste caso para o triénio 2017/19.
O actual executivo cessa funções, é presidido por António Manuel Azevedo de Melo e vai ficar na história como o que «matou» a Tuna para lhe chamar Associação Filarmónica de Óis da Ribeira, pondo para o lixo uma história mais que centenária e que gerações de ribeirenses sempre respeitaram.
Carla Tavares
Até há precisamente 3 anos, dia 27 de Dezembro de 2013, António Melo era o presidente da assembleia geral. Vale a pena recordar, para memória futura e para que a história possa salientar os seus nomes, os órgãos sociais então eleitos e ainda em exercício e que, apenas por maioria, fizeram aprovar a singular alteração estatutária, a troco de um possível subsídio camarário, que o tempo confirmará, ou não, logo se verá. Foram (são) os seguintes:
- Assembleia Geral (AG): Carla Eliana da Costa Tavares, advogada e deputada na Assembleia da República, na foto ao lado (presidente), Eliane Pires da Rita, também executante (1ª. secretária) e Carlos Miguel Correia Abrantes, idem (2º. secretário). 
José Maria Gomes
- Direcção (D): António Manuel Azevedo de Melo, quadro de empresa industrial (presidente), Luís Carlos dos Santos Neves, também executante (vice-presidente), António Manuel de Almeida Reis (secretário), Daniela Soraia dos Santos Tavares, também executante (tesoureira) e Gil Dinis Soares dos Reis Dias Branco (vogal). 
- Conselho Fiscal CF): José Maria de Almeida Gomes, reformado e também executante, na foto ao lado (presidente), Fernanda Maria da Conceição Viegas (1º. vogal) e Aurélio Matos dos Reis, também executante (2º. vogal).   

sábado, dezembro 24, 2016

Concerto de Natal da Tuna/Filarmónica de Óis da Ribeira

A Tuna de Óis da Ribeira realizou ontem o seu Concerto de Natal de 1016, o primeiro sob a nova designação oficial: Associação Filarmónica de Óis da Ribeira.
O espectáculo foi bom, com boas interpretações do grupo dirigido pelo maestro António Bastos, justificando bem mais público que o que esteve presente no Salão Cultural da Arcor. 
O tema «Águas do Botaréu», com arranjos do maestro capitão Amílcar Morais, foi um dos bons momentos da noite.
Ver AQUI

sexta-feira, dezembro 23, 2016

Povo de Óis da Ribeira não é atendido pela Junta de Freguesia?


A mariana Junta da (des)União de Freguesias de TravassÓis continua na brindar o povo de Óis da Ribeira com o maior desprezo, falta de respeito ou que quer que lhe queiram chamar. 
O edital que aqui se publica é disse exemplo.
Por várias razões:
1º. - Não tem data, o que logo diz bem da competência do órgão que o emite.
2º. - Como não tem data, não se sabe a que período se refere. É uma brincadeira pegada.
3º.- A ser levado a sério, concluir-se-ia que, num qualquer próximo ano, a secretaria da Junta estará aberta de acordo com o aviso anexo (mas qual aviso, anexo a quê?) e que nos dias 21 e 28 de Dezembro (mas de que ano?) e  de Janeiro (pois, de que ano?) estarão lá os senhores membros do executivo entre as 19,30 e as 20,30 horas.
4º. - Então e a sede oficial da (des)União de Freguesias não existe? Não há eleitores em Óis da Ribeira para serem atendidos?

quinta-feira, dezembro 22, 2016


Óis da Ribeira sem atendimento público da Junta


O mariano executivo da Junta de Freguesa da (des)União de Freguesias de TravassÓis tornou público um edital, no qual dá conta que, temporariamente, o atendimento ao público em Travassô será às segundas-feiras, entre as 14 e as 16 horas, e de terça-feira a quinta-feira, entre as 9 e as 11 horas.
Atendimento ao público em Travassô, bem entendido.
Então e o atendimento ao público em Óis da Ribeira, na sede da (des)União?
Não há? Os ribeirenses não merecem ou precisam de ser atendidos? E, precisando, tem de ir a Travassô? E porque não se desloca a funcionária a Óis da Ribeira, ao menos uma vez por semana? O desprezo é assim tanto?
Assim não se respeitam os eleitores de Óis da Ribeira. Não contam para o mariano executivo da (des)União de Freguesias?
Entretanto, o mesmo executivo continua ostensivo e provocador, ignorando a lei e dela fazendo gato-sapato, dando a entender nos editais de uso, que a sede da dita cuja a que presidirá é em Travassô, na Rua João Baptista de Oliveira, como se vê no destaque do edital que aqui reproduzimos.
Ora, não é. É em Óis da Ribeira, por decisão da Assembleia de Freguesia de TravassÓis.
O executivo mariano passa por cima de toda a folha e não respeita as decisões da Assembleia. Como é possível?

quarta-feira, dezembro 21, 2016

Ponte sem luz, luz no desvio para ninguém...

Os dois pontos que se vêem nesta imagem correspondem a outras tantas luminárias (mas há mais) da variante de Cabanões que alternou com o aterro tirado, até que a ponte se fizesse, durante longos mais de 2 anos. Tudo bem.
Porém, tudo mal, já que continuando aquele espaço iluminada, a iluminação só servira para as garças, os pintassilgos e pardais, ou os ratos que por ali andam. Não há por ali trânsito algum.
Enquanto isso, a nova ponte foi aberta há precisamente 2 meses (2 de Outubro de 2016) e ainda não está iluminada - o que é um perigo para quem, apeado ou até de bicicleta, por ali tem de transitar. Principalmente para as crianças e outra gente que, de ou para o comboio (ou qualquer outro destino) por ali tem de passar às escuras.
Ninguém se lembrou disto? Nenhum engenheiro ou arquitecto projectista, nenhum dono de obra, a Câmara ou a Junta de Freguesia?
Valha-nos Deus!

terça-feira, dezembro 20, 2016

Concerto de Natal da Tuna/Filarmónica de Óis da Ribeira



A Tuna realiza na próxima sexta-feira, dia 23 de Dezembro de 2016, o Concerto de Natal do ano, marcado para as 21 horas e no Salão Cultural da Arcor, como é costume.
A Tuna agora não se chama assim, chama-se Associação Filarmónica da Óis da Ribeira (AFOR, é bom lembrar...) e o programa deve incluir a actuação desta dita cuja e, supostamente, da OLTOR - a Orquestra Ligeira da Tuna de Óis da Ribeira. O cartaz não diz, mas refere que a iniciativa tem apoio da Câmara Municipal de Águeda (CMA), da União de Freguesias de Travassô e Óis da Ribeira (UFTOR) e da Arcor.
A propósito, como se chamará agora, como se passou a chamar a OLTOR - Orquestra Ligeira da Tuna de Óis da Ribeira? Será Orquestra Ligeira da Associação Filarmónica de Óis da Ribeira? Será, então, a OLAFOR!!
Seja como for, a ideia é ir assistir ao concerto. Há futebol, mas a noite vai ser de música.

segunda-feira, dezembro 19, 2016

Presépio de Natal no Adro de Óis da Ribeira

O presépio do Adro da Igreja de Óis da Ribeira, que ontem vimos, fez-nos lembrar que estamos quase, quase a chegar ao Natal. E nem parecia, com este tempo de solzinho e sem chuva que se vai fazendo sentir.
O Natal é sempre tempo de festa e de família, festa que vai muito para além do culto religioso e se multiplica pela mesa que se comunga, pela partilha de sentidos que se vive, enfim... por ser tempo de paz e de amor.
Então, que muito amor se espalhe pelos lares dos ribeirenses, os que moram em Óis da Ribeira e os que andam pelas várias diásporas destes tempos migratórios que se vivem! 

domingo, dezembro 18, 2016

Mentiras, aldrabices, roubos e parvoíces na AFTOR

Foto do arquivo d´Óis Por Três
A imprensa de Águeda pouca importância deu à, afinal, tumultuosa Assembleia de Freguesia de TravassÓis, que, segundo hoje apurou o d´Óis Por Três, foi de caixão à cova, com ameaças de Ministério Público pelo meio e acusações de mentiroso, aldrabão, ladrão, parvo e outros mimos, entre os senhores eleitos.
A levar estes mesmos senhores eleitos minimamente a sério, pelo que dizem e pelo que acusam, já viram o nível da «coisa»?
As ameaças de Ministério Público foram da parte do eleito Manuel Marques Capitão, do PSD, que exigiu explicações ao presidente Mário Martins, do CDS e agora no PS, sobre a acusação de que os eleitos «laranja» teriam tirado documentos da secretaria da Junta, aquando de uma visita de fiscalização. Acusação anotada em acta.
Isto é possível?
Foi possível, sim senhor, aconteceu na última Assembleia de Freguesia de TravassÓis. E ninguém se riu da charlatinice dos senhores eleitos? Se calhar não, mas também cada vez mais estes senhores que exercem o poder local são levados menos a sério. Pudera!
E a questão do muro do Surpel?
Então o mariano executivo do sr. Martins vai fazer um muro sem projecto, sem orçamento e sem estar incluído no plano de actividades deste ano e não faz as obras aprovadas há um ano pela Assembleia de Freguesia, para este mesmo 2016?
Não dá para entender!

sábado, dezembro 17, 2016

Orçamento da (des)União de TravassÓis é de cerca de 190 000 euros

A Assembleia de Freguesia de TravassÓis aprovou, por maioria, o plano de actividades e orçamento da Junta de Freguesia da (des)União de Travassô e Óis da Ribeira. A imprensa de Águeda é magra no noticiário sobre a magna reunião, referindo, todavia que, e citamos o jornal «Região de Águeda», o orçamento é de «cerca de 190 000 euros».
Os 5 posicionistas que apoiam o mariano executivo do sr. Martins votaram a favor e abstiveram-se os 5 oposicionistas do PSD: Sérgio Neves (que é o presidente da Assembleia de Freguesia), Manuel Marques, (Capitão) Sofia Marques e Paulo Pires.
O documento, ainda segundo o RA, indica a construção da nova Extensão de Saúde como a grande obra em Travassô, enquanto que em Óis da Ribeira se planeia a ampliação do hangar de canoagem. Não por acaso, duas obras que, se houver a felicidade de serem construídas, não serão obras da Junta da (des)União.
Para que são postas, então, no plano de actividades da Junta?


sexta-feira, dezembro 16, 2016

Passeios da ponte nova continua sem resguardos...

O assunto já aqui foi falado, mas infelizmente continua actual: os passeios entre as duas pontes e dos dois lados, não têm qualquer protecção e, por isso mesmo, qualquer pessoa - principalmente crianças ou idosos - podem cair pelas respectivas ribanceiras abaixo. E não são tão baixas como isso.
Em qualquer país civilizado e com autarcas decentes, esta questão nem sequer existiria: feita a ponte nova e instalados os passeios, estes imediatamente teriam resguardos e ponto final.
Mas não: por vezes esquecemos-nos que vivemos em Óis da Ribeira, em Águeda, em Portugal, e apanhamos com estes berbicachos pelo caminho. Ai se um desses senhores com responsabilidade nisto lá caísse!!! 

quinta-feira, dezembro 15, 2016

Arcor vai realizar assembleia eleitoral para 4 anos

Presidentes da ARCOR: Manuel Soares, o actual (2013/14 e 2015/16, 2  mandatos),  António
Tavares (1995/96), Fernando Reis (1997/98 e 1999/2000, dois mandatos), Celestino Viegas
 (1979/80, 1981/1982, 1983/??, 2001/2002 e 2003/2004/5, quatro/cinco mandatos), Agostinho
Tavares (2005/6 e 2007/8, 2009/2010, três mandatos) e José Melo (1991/92).  Não estão na foto, 
Armando Ferreira (1985/86) José Maria Gomes (1987), Sesnando Alves dos Reis (1989/90 e
 1993/94, dois mandatos) e João Gomes (2012/2013)

Manuel Soares e João Gomes, o actual e
 o anterior presidente da direcção da Arcor

A assembleia eleitoral da Arcor está marcada para o próximo dia 30 de Dezembro de 2016, uma sexta-feira, e, tanto quanto é mais expectável e obviamente desejável, elegerá os novos sociais da associação, neste caso para o quadriénio 2017/20. Quem serão eles? Logo se verá.
A novidade principal do próximo mandato tem a ver com a sua duração: 4 anos! O d´Óis Por Três acha que é um tempo exagerado, mas quem sabe, sabe, e quem manda, manda! Ponto final. Só que «agarrar» candidatos para 4 anos seguidos, hummmm...., afigura-se-nos que será bem mais difícil do que se for para apenas dois. Logo se verá.
As listas de candidatos deverão ser entregues na secretaria da associação, no Centro Social, até às 19 horas do próximo dia 28 de Dezembro de 2016.
O acto eleitoral vai decorrer entre as 19,30 e as 21,30 horas de 30 de Dezembro de 2016.

quarta-feira, dezembro 14, 2016

A ponte nova é nova mas não tem iluminação

 A ponte nova tem iluminação, quer dizer tem postes de iluminação instalados mas não tem luz. Isto é: está às escuras. E as noites de inverno se são escuras e se metem medo.
A ponte foi aberta ao trânsito o dia 21 de Outubro e, então, não faltaram páginas de facebook dos instalados no poder e seus mais próximos apaniguados a exultar a coisa. Disso são exemplo as do sr. presidente da Câmara Municipal de Águeda (ver AQUI) e do sr. vice-presidente da dita cuja (ver AQUI), ambos a puxar brilho aos seus méritos. Eles e mais alguns seguidores da política no poder (seja ela qual for), mas que não passam de uns medíocres lambe-botas sem vergonha e sem auto-estima
Sejam eles o que quiserem, o proveito é deles, a verdade é que a ponte não tem iluminação, enquanto que ao lado, disseram ao d´Óis Por Três, a anterior passagem improvisada continua iluminada com a luz de quando era utilizada. Para quem? Para ninguém!
Assim vai a governação do reino.

terça-feira, dezembro 13, 2016

Ponte nova sem passeios para Cabanões...

A ponte nova é nova, mas descontinuada de passeios, como se vê nesta imagem, captada na tarde do último domingo. Quem caminhar de Óis da Ribeira para Cabanões, já por si em passeios relativamente estreitos, chega ao fim da ponte e..., nicles, ou caminha pela estrada ou na lama ou no pó da picada com ribanceira. E pode cair por ela abaixo. 
A quem for de Cabanões acontece a mesma coisa, o que, nesta época do ano, de inverno e noite, é perigoso para as crianças e jovens, ou mesmo adultos, que regressem a casa do comboio.
Aquilo com está é um perigo. De um lado e de outro, pois nenhum de ambos tem passeio. Ninguém se lembrou de os planear no projecto. Isto está visto: quando mais técnicos há, menos a realidade «real» se conhece e fazem-se estas coisas, sem sequência e sem consequência!
É a vida, diria o sr. Secretário Geral da ONU, ontem juramentado na cosmopolita e global Nova Iorque!

segunda-feira, dezembro 12, 2016

Almoço de Natal de 2016 da Arcor


A Arcor vai organizar um festivo almoço de Natal, marcado para o próximo sábado, dia 17 de Dezembro de 2016, às 12 horas. E a direcção liderada pelo presidente Manuel Soares convida ribeirenses e amigos a estarem presentes.
Julgamos ser a primeira vez que a associação abre as suas portas ao público, em geral e a este tipo de festividade natalícia, que até agora era reservada aos utentes da instituição e famílias, além de órgãos sociais e um ou outro convidados.
Os interessados em participar darão donativo, fixado em 12,5 euros - o que não quer dizer que não possam dar mais. Terão de confirmar a presença pelo email geral@arcor-ipss.pt ou pelos telefones 234629818 e 913392524. 

domingo, dezembro 11, 2016

A placa nova da variante do Surpel


Hoje mesmo e provavelmente com até algum atraso, demos conta que já foi colocada uma placa nova na Variante do Surpel. Já não era sem tempo.
Realmente, já pelo menos a 12 de Junho de 2011  - há portanto 5 anos e meio... - que o d´Óis Por Três reclamava da placa, ora porque que caiu parte dela (como se vê na foto ao lado, a de cima) ficando só a indicação de Óis da Ribeira, faltando as anteriores indicações de Cabanões e Travassô -, ora porque, de vez, desapareceu toda a placa (foto de baixo). Com bons olhos e com imenso gosto, verificámos hoje que há placa nova e por isso nos regozijamos.
Porém - há sempre um mas, um porém, um todavia ou um contudo... - a placa tem uma singularidade, uma daquelas cada vez mais comuns coisas de alguns actores da vida pública que parecem querer acabar com o nome de Óis da Ribeira. Reparem: a placa indica Travassô como primeira localidade (a seguir à dita), depois Cabanões, depois Óis da Ribeira. Que, logicamente, deveria ser a primeira.
Quem a ler e interpretar e não conhecer a zona conclui, obviamente, que a localidade a seguir à placa é... Travassô. E não é. É Óis da Ribeira. Mas quem decide estas coisas anda a dormir ou quê? Ou a gozar com o povo? 

sábado, dezembro 10, 2016

A vazão das cheias e os milhões de euros...


O JN de hoje, na sua página 25, traz uma curiosa notícia, titulada «Águeda: fundos comunitários para evitar cheias» (na imagem ao lado) e legendando uma foto da nova ponte de Óis da Ribeira. Lê-se então no jornal diário do Porto que, em termos de investimento, «a Câmara de Águeda assegurou uma comparticipação de 1,7 milhões de euros de fundos comunitários nas obras de protecção das cheias». Ipsis verbis.
Acrescenta a notícia que o município «havia assumido um investimento de 3,5 milhões de euros, com fundos próprios, na construção do canal secundário do rio Águeda e do aumento de secção de vazão das pontes do Campo e de Óis da Ribeira (na foto) com o objectivo de minimizar o efeito das cheias no centro de Águeda».
É verdade que o jornal diz isto, noticia isto, e quanto ao efeito da Ponte do Campo nas cheias, nada sabemos. Mas sabemos, no caso da ponte de Óis da Ribeira, que não resolve coisa nenhuma. Lembram-se das duas grandes cheias do início deste ano? E das dos anos anteriores? Já a tal secção de vazão tinha sido aumentada, por não existir o aterro e houve cheias na mesma.
Aliás, Águeda vai obviamente ter sempre cheias. 

sexta-feira, dezembro 09, 2016

Promessas eleitorais e anuais e outras que tais por cumprir...

«A experiência do passado, aliada à capacidade de trabalho e à vontade de fazer mais e melhor... projecta-nos UNIDOS para o FUTURO» era o slogan da campanha política do presidente Mário Martins, que, em sessão de esclarecimento realizada a 17 a Setembro de 2013, obviamente prometia servir o interesse de Óis da Ribeira e de Travassô.
A questão é se cumpriu a promessa. 
Cumpriu?
Cá para nós, não cumpriu.
Quanto à união, ó meu Deus..., nem vale a pena falar. Está tudo como está. Desunido. 
Não cumpriu os planos de actividades aprovados nas Assembleias de Freguesia. Marimbou-se neles e nos outros eleitos da (des)União.
Logo à noite há uma Assembleia de Freguesia para, entre outros assuntos, votar o plano de actividades e orçamento de 2017. Mas será que algum dos eleitos, de Travassô e de Óis da Ribeira, terá a liberdade perguntar ao executivo se, por acaso, cumpriu os planos de 2014, de 2015 e de 2016?
Não cumpriu, a gente sabe disso. Mas alguém perguntará? E o executivo responderá?
Não é preciso ser adivinho. E esta rapaziada que alinhou na lista da mariano executivo e que aqui se vê na foto da propaganda de há três anos, o que é que diz a isto? São verbos de encher?

quinta-feira, dezembro 08, 2016

O muro em obra na estrada do Surpel é o quê?

A Assembleia da (des)União de Freguesias de Travassô marcada para a noite de amanhã na sede, em Óis da Ribeira, será o espaço próprio para se perguntar ao executivo do presidente Martins que diabo de obra anda a ser feita ao princípio da estrada do Surpel.
A imagem não é da melhor qualidade mas dá para ver que a Junta está construir um muro gigantesco (à esquerda), que fará talude da estrada para o quintal, que está em quota muito inferior, da residência ao lado - e da qual só se vê o portão preto. O muro que a Junta de Freguesia está a construir substitui, aparentemente, a vedação de arbustos que ali existia. Vedação particular.
Estranho é também que este suposto alargamento da via vai criar um canto na estrada, atrás do painel de azulejos que se vê do lado de Espinhel e tem o mapa de Óis. Mais um canto que, aos costumes da não limpeza dos espaços públicos em Óis, irá certamente ser transformado em mais um depósito de lixos. 
E qual é o interesse público desta obra?
Que critérios segue o executivo?
Esta obra está no plano de actividades para este ano de 2016?
Alguns dos eleitos vai perguntar?
E, se perguntar, a Junta vai responder ou ignorar a pergunta, como costuma fazer? 
Perguntar nem sequer ofende.

quarta-feira, dezembro 07, 2016

Assembleia de Freguesia é no salão da sede em Óis da Ribeira


O edital da próxima reunião da Assembleia de Freguesia de Travassô e Óis da Ribeira - ou TravassÓis, como povo baptizou e popularizou... - está reproduzido aqui ao lado e, registe-se o pormenor, está com data e tudo - nem sempre foi assim, como se sabe... -, mas, todavia, com mais uma infidelidade legal.
 Em boa verdade, a editalizada informação do presidente da AFTOR aponta para uma reunião ORDINÁRIA que «se realizará no edifício da Junta de Freguesia em Óis da Ribeira», quando, efectivamente e para sermos rigorosos, se realizará na sede da União de Freguesias de Travassô e Óis da Ribeira. Pode até parecer a mesma coisa, mas... mas não é.
A ser no edifício da Junta de Freguesia de Óis da Ribeira, como se lê no edital mas sem especificar qual, poderá ser, por exemplo, no da Rua Adolfo Pires dos Reis (a do Viveiro, na imagem aqui ao lado, a do meio) - que por lá está abandonado, desde que de lá saiu a Tuna. 
O mariano executivo travassOisense se calhar nem sabe do que é proprietário. E muito menos saberão, quiçá, as senhoras e os senhores eleitos em 2013 e que aparentemente defendem os interesse do povo nestas curiosas e sempre turbulentas Assembleias de Freguesia da (des)União. Sabe-se lá.
Outro edifício da Junta de Freguesia é o da actual sede da Tuna (na foto de baixo), à entrada da antiga vila, do lado da ponte e à direita. Foi-lhe «cedido» por 99 anos, em regime de comodato, pela Assembleia de Freguesia de Óis da Ribeira, realizada a de 23 de Julho de 2012.
O absurdo disto tudo é que, repetindo-se o d´Óis Por Três nesta tese, provavelmente há gente que anda por aí a navegar-se na política local, a pavonear-se, e nem saberá destas realidades: Óis da Ribeira tem três edifícios públicos, sendo os três propriedade da Junta de Freguesia.
A terminar, recordemos que o «circo político» da próxima sexta-feira, dia 9 de Dezembro de 2016, está marcado para as 21 horas e, frisa o d´Óis Por Três, deverá ser no salão da sede oficial da União de Freguesias de Travassô e Óis da Ribeira. Não será, isso é certo e desta vez, ao cimo do vão de escadas da sala de espera do posto médico de Travassô.

terça-feira, dezembro 06, 2016

Orçamento e plano de actividades de TravassÓis

A Assembleia de Freguesia de TravassÓis  vai analisar a votar a proposta de orçamento e plano de actividades de 2017. Apresentada pelo executivo socialista liderado por Mário Martins, embora descendente da casa democrata-cristã de Travassô, pela qual se fizeram eleger pelo CDS, vai provavelmente suscitar acesas discussões na Assembleia de Freguesia da União de Freguesias.
Do que a Óis da Ribeira diz respeito, se coragem houver da parte dos eleitos locais, deverão começar pelo que, relativamente ao plano de actividades e orçamento de 2016 foi feito. Ou não foi.
Poderão começar por casa, pela sede da União de Freguesias, onde o tecto está cair vai para 4 anos, pelo menos. Ver AQUI. Se nem da sede da União de Freguesias cuidam, como hão-de cuidar de outras coisas?
Não deverão esquecer a rede de saneamento que nunca mais se acaba, já lá uns 11 ou 12 anos à espera. E o estado em que se encontram alguns caminhos da lavoura e do campo. E a picada em que está transformada a rua António Berna, por acaso um dos dois únicos acessos à pateira. E a limpeza das valetas e espaços públicos da localidade, feitos, quando são, tarde e a más horas. E o dinheiro que era da Junta de Óis, uns 15 000 euros ou mais..., e que a Junta da União gastou em Travassô. E, e, e...
Estas coisas parecem-nos significativo e mostra bem como são tratadas as coisas públicas. O executivo da (des)União está empossado há quase 39 meses e não teve tempo, ou não se lembrou, ou não lhe apeteceu.
A a calçada da calçada?
E os passeios da vila! Não foi construído um metro, pelo executivo da (des)União!
E as valetas não se limpam?
Onde esta o responsabilidade de quem dirige e o bairrismo de quem na pele sente as arbitrariedades que prejudicam o povo?

segunda-feira, dezembro 05, 2016

Assembleia de TravassÓis na sede da União em Óis

A Assembleia de Freguesia de TravassÓis, de 29 de Abril de 2015, aqui a funcionar
na acanhada sala de espera do posto médico de Travassô e quando chumbou a pro-
posta para o brasão da União e o regulamento de apoio às associações. Foto DAQUIDAQUI)


A Assembleia de Freguesia da TravassÓis vai reunir na noite de 9 de Dezembro de 2016, sexta-feira próxima, para, entre outros pontos, analisar e votar as Grandes Opções do Plano de Actividades e Orçamento para 2017.
Os trabalhos começarão às 21 horas, na sede da União, em Óis da Ribeira, com o tradicional período de antes da ordem do dia, e continuarão com a intervenção do presidente Mário Martins, que dará informação escrita sobre as actividades desenvolvidas pela União no último trimestre. Há grande curiosidade para saber quais foram, pois não se verão, à vista desarmada.
Seguir-se-ão a norma de controlo interno, o regulamento de apoio ao associativismo e os chamados outros assuntos de interesse da freguesia, antes do período aberto ao público.
A expectativa inicial vai ser sobre o período de antes da ordem do dia, no qual é suposto que os eleitos do PSD exijam uma explicação do mariano presidente da União de Freguesias, que na última sessão, deixou entender que o senhores do PSD teriam sonegado documentos da secretaria, quando os foram observar. Terão? E porque se calaram, na altura? E não foi feita participação judicial?

domingo, dezembro 04, 2016

Projecto de lei para as obras do centro social da Arcor



O projecto de decreto-lei que fez entrar as obras do centro social da Arcor em Orçamento de Estado, através do PIDDAC de 1999, foi aprovado a 4 de Dezembro de 1998, fazem-se hoje 18 anos. 
A proposta tinha (e foi aprovada) uma dotação de 10 000 contos, do Ministério do Trabalho e da Segurança Social. Este valor, em escudos e segundo o conversor da FORDATA, corresponderia, actualmente, a 71 564,21 euros.
O fim de semana deu-nos tempo para, com buscas na net, encontrar várias datas de 4 de Dezembro, não necessariamente todas, que tem a ver com a Arcor. Estas, por exemplo, nos seguintes anos:
- 1998: Aprovação do projecto de decreto-lei que fez entrar as obras em PIDDAC. Foi proponente o deputado Castro Almeida (PSD), que votou a favor com José Júlio Ribeiro, Rui Rio e Manuel Oliveira (PSD), Sílvio Cervan (CDS) e João Amaral (PCP), com abstenção dos deputados do PS.
- 1997: Aprovação da cedência de uma sala da escola primária para o jardim de infância da Arcor.
- 2001: Reunião na Segurança Social de Aveiro por causa das obras do centro social.
- 2010: Actuação do Grupo de Teatro Amador (GTA) da Arcor em Belazaima do Chão, com a peça «O Gato», de Henrique Santana. 
Outros acontecimentos deste dia haverá, ao longo dos 37 anos da Arcor, mas não os encontrámos.
Dados DAQUI, site de Luís Neves

sábado, dezembro 03, 2016

Encontro (2º.) de Orquestras Juvenis em Óis da Ribeira


A Tuna de Óis da Ribeira vai organizar o 2º. Encontro de Orquestras Juvenis, marcado para as 21 horas de 10 de Dezembro de 2016. Tuna, perdão, Associação Filarmónica de Óis da Ribeira.
O programa, para além da Orquestra da casa - a Orquestra Juvenil da Associação Filarmónica de Óis da Ribeira - terá a participação de mais duas orquestras juvenis: as da Associação Recreativa Eixense e da Banda Nova de Fermentelos.
O espaço de actuação, como vem sendo habitual, é o salão cultural da Arcor que assim, com o «usufruto» quase permanente da Tuna, cumpre o fim para que foi destinado pela associação que o construiu: dinamizar actividades culturais e recreativas.
Já que a Arcor não faz nada, que faça a Tuna.
Cadé o teatro, por exemplo?

sexta-feira, dezembro 02, 2016

Os 119 anos da Tuna que e Associação Filarmónica de Óis da Ribeira


A Tuna de Óis da Ribeira fez 19 anos e três novos músicos receberam o boné da farda, simbolicamente assim entrando para o corpo de músicos da colectividade que agora. A imagem mostra os três com o veterano Alípio dos Santos Framegas, neto do fundador Jacinto Matos: Carlos Vidal, Inês Reis e Mara Brites (por esta ordem, na foto). 
Os vários oradores enalteceram o trabalho que a Tuna tem vindo a fazer e o primeiro foi o presidente da Assembleia de Freguesia, Sérgio Neves, que enfatizou o facto de «só “só chega aos 119 anos de idade quem tem alicerces muito fortes, com pessoas que dão muito de si”. 
O comendador Augusto Gonçalves afirmou que “as terras não são grandes pela sua dimensão geográfica, pelo número de habitantes que eventualmente tenham, mas são grandes por aquilo que são capazes de fazer”. Referia-se ao exemplo de Óis da Ribeira, claro.
O presidente António Melo explicou as razões para a mudança de nome da associação (nomeadamente para poder aderir à UBA), lembrou os serviços feitos em 2016 e sublinhou a cada vez maior preocupação na formação e qualidade dos músicos.
Foram homenageadas as mulheres que tem ajudado a Tuna nas suas actividades: Fátima Melo, Rute Reis, Rosa Deolinda Santos. Sandra Branco, Otília Reis e Selda Maria (por esta ordem na foto).

quinta-feira, dezembro 01, 2016

Desassoreamento da pateira nos planos da CIRA para 2017

A Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro (CIRA) aprovou o orçamento e plano de actividades para 2017, no valor de 19,6 milhões de euros. Na parte que mais diz respeito à antiga vila de Óis da Ribeira, agora sede da União de Freguesias de TravassÓis, destaca-se o desassoreamento da pateira.
Indirectamente e entre outros projectos aparentemente relevantes para o desenvolvimento regional e no que tem a ver com os mais próximos interesses ribeirenses, sublinhe-se também o desassoreamento da Ria de Aveiro e ainda a negociação e formalização de um acordo sobre o contrato de delegação de competências da gestão da Ria de Aveiro com a Agência Portuguesa do Ambiente e o início da intervenção no Baixo Vouga Lagunar, para além de participar na AdRA. 
O orçamento para 2017 prevê uma dotação de 19 084 179 euros, a que acrescem 599 836 para encargos de funcionamento, no total dos sobreditos 19 684 015 euros.